Hemp



Na agitada cidade do Rio de Janeiro, um homem se mantém alheio ao corre-corre da vida urbana. Em apenas um dia, o documentarista Cid César acompanhou a insólita rotina deste homem: Guilherme de Souza, o Hemp. Morando numa casa sem energia elétrica, onde bebe água da fonte, colhe vegetais em sua horta e usa o fogão a lenha para cozinhá-los, ele dedica a maior parte de seu tempo à pintura de quadros geralmente, usando materiais reciclados como tela. Adepto de uma religião hindu, Hemp costuma fumar durante suas orações, três vezes ao dia e corrige: eu não fumo, eu faço cerimônia.
É que, para ele, nada é por acaso, inclusive a própria escolha por esse estilo de vida. Hemp decidiu viver de forma simples após permanecer cinco anos nos Estados Unidos, onde se impressionou com o desperdício e o excesso de consumo provocados pela vida moderna. De volta ao Brasil, decidiu que morar num caixote de cimento (como define apartamentos), permanecer duas horas preso num engarrafamento ou passar a vida pagando contas não trariam felicidade. Ex-competidor de surf, acabou por instalar-se nessa casa no Alto da Boa Vista, cedida por um amigo.
O filme mostra que o estilo de vida de Hemp, que antes poderia ser considerado uma excentricidade, hoje se revela algo totalmente sintonizado com expressões como sustentabilidade e preservação do Planeta. Após assistir ao filme, ficará a dúvida: quem está vivendo de forma errada? Você ou Hemp?

24 comments

  1. Cara. Quanta lenda. Pena que a maior parte do que foi dito é mentira. O Hemp nunca morou na tal casa ele fica a maior parte do tempo na prainha ou na casa dos pais na barra, mas admito que amigos o hospedam, como o filme comprova. Ele não é nenhum guru nem teve uma visão libertadora, teve foi uma overdose de ácido e deu nisso que a gente vê no filme também. Ele pinta quadros sim, mas não é a maior parte do tempo, de verdade tem pintado muito pouco ultimamente.

  2. meu ídolo! sério, ele consegue viver tao feliz e de uma forma simples sem reclamar da vida e de suas consequencias! mas apenas o fato de lideres e opressores capitalistas infligirem regras para estragar a vida de homens como esse para criar maquinas consumidoras e sem sentimento algum destruindo milhares de vidas felizes! tenho apenas 14 anos e digo: HOMENS COMO ESSE É O EXEMPLO DE UM CIDADÃO IDEAL, UM CIDADÃO LIBERALISTA!

  3. Eu asho que o Brasil está longe da legalizaçâo,primeiro que dizer que se vs tira a maconha das maõs dos traficantes o trafico vai acabar é mentira,pois oq realmente movimenta esse mundo são as drogas pesadas.A legalização só seria possivel nesse país com a conscientização!
    Legalize ganja!!!!

  4. Eu uso uma planta, planta nao eh droga, droga eh o alcool, o tabaco,

    maconha NAO EH DROGA, bando de hipocritas fdps,

    e pra kem eh contra a legalização soh falo pra essas pessoas desligarem a TELEVISAO.

    bando de gente MANIPULADA, bonekinhos do governo.

  5. louco pra ver na integra esse documentario!
    Tem gente que tem preconceito contra quem fuma maconha, e ñ muda d opniao, mas todo final de semana bebe sua cervejinha, a mesma que faz milhoes de vitimas no mundo, seja no transito, por facadas, tiro, etc, convive c pessoas que fumam cigarro, o msm que mata milhoes em todo o mundo, mas odeia a maconha, na qual nunca se escutou uma morte por causa dela, direta ou indiretamente!Sendo licita td bem, mas n sendo, preconceito total!
    Hipocrisia é foda!

  6. Nenhuma das duas coisas transforma a pessoa em criminoso, nem a arma nem a planta. Hemp estraga a saúde tanto quanto cigarro. Mas sou da opinião que se quer fumar um ou outro blz, cada um na sua.

    Nós temos a mania de confundir os meios com os fins. Uma coisa não necessariamente está ligado a outra. Assim como alguém q fuma maconha não é criminoso alguém que bebe e dirige pode ser. É só não generalizar e deixar que cada um tome o seu caminho.

    Abraços

Leave a comment

Your email address will not be published.